Jogo dos Sete Erros

Um passatempo eleitoral para o fim de semana. Ah, e não vale apontar o Collor e o Serra como um erro por eles próprios, combinado? Afinal, pleonasmo em jogo dos sete erros é trapaça.

Antropofagia eleitoral

José Serra, um candidato com fome de voto:

Isso é que é apetite. Só faltou o “vote em mim ou te devoro” depois da risadinha maliciosa no final.

A teoria em crise

Mais avassalador do que a iminência de colapso dos estudos literários (obrigado, Barthes, por sugerir a tal da interdisciplinaridade; obrigado, Ocidente, por permitir que o centro dos estudos lingüísticos e literários se transferisse para os Estados Unidos) é o respeito – ou a falta de – dado às pessoas que, praticamente, se tornaram verdadeiras instituições na área de pesquisa e de posicionamento crítico frente a essas questões.

Não é mesmo, Faculdade de Letras da UFMG?

Poderia haver uma forma menos ofensiva de demonstrar para a prof.ª. Eneida Maria de Souza qual é o não-lugar da literatura. Talvez uma homenagem que não insinuasse que ser emérito, nas entrelinhas, signifique estar a caminho do sesquicentenário, em um esforço de 103 anos até ser, finalmente, reconhecido.

E viva o cânone!

[post dedicado a Daisy, nossa leitora-orgulho].

Não diga “Alô”, diga “Alô, Aécio!”

Aproximadamente há dois domingos os mineiros vêm recebendo uma ligação aparentemente inesperada. O candidato a senador e ex-governador-com-grandes-pretensões-presidenciais Aécio Neves resolveu, digamos, usufruir das maravilhas do telemarketing (incluindo o incômodo e a capacidade de produzir nos seus interlocutores o desejo de desligar o telefone e encerrar a ligação o mais rápido possível) para pedir, explicitamente, votos para o seu candidato ao Governo de Minas Gerais, Antônio Anastasia.

O fato deixa de ser inusitado quando contextualizado a toda essa questão eleitoral, isso é fato; mas ainda assim não impede de gerar certas reflexões:

a) cada ligação, saindo a R$0,60, vezes 10 milhões de linhas telefônicas ( contando residenciais, comerciais e celulares)… bem, isso é igual a… quebra do sigilo fiscal da campanha do PSDB?

b) O código de ética do telemarketing afirma que, para a modalidade ativa, é proibido ligar nos domingos e feriados. Além disso, a central de relacionamento deve retirar do sistema o cadastro de consumidores que não queiram mais receber ofertas de seus produtos. Bem, pressume-se que o fato de ser cidadão e eleitor mineiro não seja fator suficiente para o Aécio ficar ligando para todo mundo. Então, coligação “Somos Minas Gerais”, já entendemos o aviso, beleza? Já pode tirar o nome de todos os mineiros dos seus cadastros!

c) Partindo de qual pressuposto foi inventada a mensagem de despedida do Aécio Neves (“Muito obrigado e espero que a gente se encontre por aí.) ? Se encontrar por aí onde, hein? No Mater Dei? Melhor não, né.

Mais em:

http://raphaelhagi.wordpress.com/2010/08/16/o-aecio-neves-me-ligou/

http://www.diariodoposte.com.br/profiles/blogs/aecio-neves-abusa-do-poder