A teoria em crise

Mais avassalador do que a iminência de colapso dos estudos literários (obrigado, Barthes, por sugerir a tal da interdisciplinaridade; obrigado, Ocidente, por permitir que o centro dos estudos lingüísticos e literários se transferisse para os Estados Unidos) é o respeito – ou a falta de – dado às pessoas que, praticamente, se tornaram verdadeiras instituições na área de pesquisa e de posicionamento crítico frente a essas questões.

Não é mesmo, Faculdade de Letras da UFMG?

Poderia haver uma forma menos ofensiva de demonstrar para a prof.ª. Eneida Maria de Souza qual é o não-lugar da literatura. Talvez uma homenagem que não insinuasse que ser emérito, nas entrelinhas, signifique estar a caminho do sesquicentenário, em um esforço de 103 anos até ser, finalmente, reconhecido.

E viva o cânone!

[post dedicado a Daisy, nossa leitora-orgulho].

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s