Das anedotas educacionais

O Plano Nacional de Educação (PNE) para o decênio 2001-2010 previa o investimento de 7% do PIB na área educacional. Contudo, até o ano passado, essa meta não havia sido alcançada, tendo-se investido em 2010 cerca de 5,1% do PIB em educação. Para se ter uma ideia, no mesmo período a Suécia investiu 7,6% do seu PIB em educação e Israel, 8%.

Para o decênio 2011-2020, o principal objetivo é destinar efetivamente 7% de toda a riqueza produzida pelo país à educação em um prazo-limite de 4 anos e fomentar um investimento progressivo que atinja um repasse de 10% do PIB até 2020. Com isso, espera-se promover antigas – e necessárias – medidas, como a valorização dos professores,  a revisão do piso salarial da categoria, a erradicação do analfabetismo, a garantia do atendimento em creches para crianças de até 3 anos e a ampliação da educação em tempo integral na rede pública de ensino.

E o que a Câmara dos Deputados tem feito em prol da educação no Brasil?

Qual foi o argumento usado para a indicação? “— Ele foi indicado pelo fato se ser um humorista de êxito no Brasil.” Risos.

Pior do que estava, ficou.

Anúncios

Q? II


Com o perdão da intratextualidade, mas sempre que uma pesquisa possui alguma evidência que consolide as estatísticas, tudo ganha ainda mais credibilidade:


_________________________Ou não.

Deve ser o Q de Qualidade surtindo efeito até hoje.
O intrigante da história é saber quem era o estagiário que não assistiu à aula de Geografia do Yakko Warner quantos telespectadores teriam percebido o erro nas bandeiras caso o apresentador William Bonner não tivesse notificado.

Acerca do passe livre

Já é de conhecimento nacional que Belo Horizonte é a única capital que não tem uma política de passe livre para estudantes. As reivindicações, que começaram a ter alguma expressividade ainda na década de 90, parecem ter alcançado conquistas relevantes nos últimos meses: em outubro, conseguem na Câmara Municipal a aprovação do projeto de lei que tem por objetivo a concessão do passe livre à estudantes – ainda que o projeto tenha sido inicialmente considerado insuficiente. A proposta havia sido encaminhada à Prefeitura e aguardava aprovação do prefeito Márcio Lacerda.

Após muitas manifestações, incluindo a mais recente realizada no dia 18 de fevereiro no centro de Belo Horizonte, o prefeito Márcio Lacerda finalmente sancionou na segunda-feira a “Lei do Meio Passe” de transportes coletivos para estudantes do ensino médio, fundamental e universitários da capital mineira.

A questão agora é analisar qual fator foi realmente decisivo para que o direito ao passe livre, depois de tantos anos, fosse, ainda que parcialmente, conquistado. Talvez seja pela organização dos estudantes em prol de seus direitos, ou pela insistência e pressão feita por eles por uma medida rápida e eficaz do prefeito. Quem sabe os estudantes finalmente alcançaram um nível de maturidade e consciência crítica que tenha feito a diferença…

Bem… ou não. Ainda.
Até porque considerar algum nível de maturidade por meio de promoções do orkut… melhor não, né.

Aula de Geografia

Em virtude disso, na aula de hoje, aprofundaremos nossos conhecimentos acerca da Geografia e da Cartografia do globo terrestre:

Curioso como algumas coisas nos deixam nostálgicos. A Iugoslávia, por exemplo.

E a culpa não é do Kadafi – não desta vez.

Da Terpsícore

Retirado do limbo abissal do ostracismo e do lodo que margeia  o Lethes, Jacaré, ex-dançarino do grupo Gera Samba Companhia do Pagode É o Tchan, foi entrevistado para opinar sobre o novo clipe do Radiohead, Lotus Flower, e a dança que o vocalista do grupo Thom Yorke faz no vídeo.

“Na verdade, ali não tem nada de dança. Thom Yorke não sabe nada de dança. Ele faz movimentos aleatórios”.

Isto é:

Aqui, você vê movimentos aleatórios.


Aqui, você vê arte – quase uma Isadora Duncan, eu diria.

Realmente: pau que nasce torto nunca se endireita. Agora é esperar a resenha crítica que Jacaré está finalizando sobre Með suð í eyrum við spilum endalaust, álbum da grupo islandês Sigur Rós.

#euamoosmeusvereadoresradicalmente

A Câmara Municipal de Belo Horizonte não esperou nem o carnaval passar para já debater assuntos de extremo interesse à população belorizontina e discutir projetos de suma importância à promoção do bem estar social:

A solenidade foi indicada pelo vereador Geraldo Félix – aquele mesmo que faltou a 1/4 das sessões na Assembléia em 2010 – e será presidida adivinha por quem? É, isso mesmo.

Só faltou informar se os artesãos da Feira de Artesanato da Afonso Pena também foram convidados.

#fimdostempos

“E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras” (Ap 22.12).

Ou, em outras palavras:

Profecias do Apocalipse via twitter: é, Jesus está voltando.