Mãe Natureza X-9

Em relatório divulgado no mês passado, o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais  apontou indícios de graves irregularidades no processo de licitação pública para a realização do projeto de engenharia e arquitetura do estádio Mineirão, voltado para a Copa do Mundo de 2014.

No projeto básico do estádio (por sinal, até o momento, o mais caro do Brasil), foram constatadas irregularidades como ausência de licitação pública, pagamentos por serviços não executados, desvio de objeto, jogo de planilha (esquema que permite aditivos de contratos sem necessidade) e superfaturamento. Em cifras, toda essa falta de vergonha na cara já custa R$ 29.378.102,19.

O que mais causa espanto, na verdade, foi a necessidade de se esperar chegar a fatos e números tão expressivos para se cogitar alguma ação ou medida que verificasse a quantas anda o projeto para o Mineirão. Diga-se de passagem que, antes mesmo do início das obras, até a Mãe Natureza já sabia onde estava o pote de ouro dos humanos:

“É só seguir a trilha até o fim do arco-íris!”

Fábulas da pós-modernidade: duvidar, quem há de?

 

Anúncios