#euamoomeuprefeitoradicalmente

Parece que o fim de ano é o momento propício para os belo-horizontinos serem presenteados com, digamos, uma ou outra surpresa estapafúrdia do prefeito Márcio Lacerda.

Após o erro de ter se candidatado à reeleição – erro que só não supera o equívoco de ter sido reeleito -, muitos se perguntavam o que mais poderia se esperar dele, o prefeito Márcio Lacerda.

 

Daí, em um belo dia, você se depara com isso:

Prefeito 1

 

Depois, com isso:

Prefeito 2

 

E com isso:

Prefeito 3

 

E constata que sim, o prefeito Márcio Lacerda chegou ao seu limite. Porém, anestesiado pelo espírito natalino, o prefeito-bom-velhinho dos belo-horizontinos guardou o melhor para o final, e conseguiu se superar ainda mais promovendo isso:

Prefeito

 

E de amigo oculto, o que os belo-horizontinos poderão dar para o seu ilustre prefeito? Nós sugerimos uma edição de Cartas Chilenas, com dedicatória e tudo mais.

 

Feliz 2013 ao prefeito Márcio Lacerda.

.

.

Anúncios

Das verdades ilícitas

“Verdade? O que é a verdade?”, questionava a instável Ana, personagem de Crônica da Casa Assassinada, obra-prima de Lúcio Cardoso. Alvo preferido da pós-modernidade, o conceito de verdade como um paradigma único e absoluto foi amplamente relativizado a ponto de, como legado dessa trangressão das tradições, não mais haver premissa que não possa ser desconstruída.

A tensão que, todavia, perpassa tudo isso é: como aceitar uma verdade instituída quando a relativização dela é mais adequada? Em outras palavras:


Como se portar frente a verdades que se assemelham a piadas?

Parece brincadeira de 1º de abril – mas não é.
Mise-en-abyme epistemológico em 10, 9, 8, 7…

Tetzel quer saber

Johann Tetzel quer saber se você lembra em quem votou nas últimas eleições.

 Se não lembrar, não vai ganhar indulgência.

Caso queira não só lembrar como também passar a fiscalizar a atuação dos políticos em exercício no país, Tetzel indica: http://www.excelencias.org.br/

Batidão do MC Tucano

E lá vamos nós, com o funk do PSDB levando o nível desta eleição até o chão, chão, chão, chão…

http://soundcloud.com/rede-mobiliza/funk-vai-deixar

Vai deixar, vai deixar darem um créu na democracia? Se esse refrão não for retórico nem tautológico, no mínimo é metalingüístico.

Problema é se a coligação do PT exigir um direito de resposta à altura.

Dicionário ilustrado de expressões idiomáticas

“Jogar merda no ventilador”:

De acordo com o contexto, pode ser empregado como sinônimo de “franco-atirador” em equivalência a “doa a quem doer”.

Conceitos da Psicologia

Na aula de hoje, aprenderemos rapidamente o conceito de projeção:

São provas de estima como essa que mostram o quanto os belorizontinos gostam de seus candidatos políticos.

Que Freud – e Bakunin – nos ajudem.

Friends 4ever

Tuma: o senador de todos, em todos os momentos.

Estrela por estrela – e canal por canal – fica a estrela do Tuma (e o canal do presidente Lula).

Porque não há maior marketing do que uma verdadeira amizade (também conhecida como formação de uma base aliada no Senado).