#euamoomeuprefeitoradicalmente

Parece que o fim de ano é o momento propício para os belo-horizontinos serem presenteados com, digamos, uma ou outra surpresa estapafúrdia do prefeito Márcio Lacerda.

Após o erro de ter se candidatado à reeleição – erro que só não supera o equívoco de ter sido reeleito -, muitos se perguntavam o que mais poderia se esperar dele, o prefeito Márcio Lacerda.

 

Daí, em um belo dia, você se depara com isso:

Prefeito 1

 

Depois, com isso:

Prefeito 2

 

E com isso:

Prefeito 3

 

E constata que sim, o prefeito Márcio Lacerda chegou ao seu limite. Porém, anestesiado pelo espírito natalino, o prefeito-bom-velhinho dos belo-horizontinos guardou o melhor para o final, e conseguiu se superar ainda mais promovendo isso:

Prefeito

 

E de amigo oculto, o que os belo-horizontinos poderão dar para o seu ilustre prefeito? Nós sugerimos uma edição de Cartas Chilenas, com dedicatória e tudo mais.

 

Feliz 2013 ao prefeito Márcio Lacerda.

.

.

Anúncios

Acerca do passe livre

Já é de conhecimento nacional que Belo Horizonte é a única capital que não tem uma política de passe livre para estudantes. As reivindicações, que começaram a ter alguma expressividade ainda na década de 90, parecem ter alcançado conquistas relevantes nos últimos meses: em outubro, conseguem na Câmara Municipal a aprovação do projeto de lei que tem por objetivo a concessão do passe livre à estudantes – ainda que o projeto tenha sido inicialmente considerado insuficiente. A proposta havia sido encaminhada à Prefeitura e aguardava aprovação do prefeito Márcio Lacerda.

Após muitas manifestações, incluindo a mais recente realizada no dia 18 de fevereiro no centro de Belo Horizonte, o prefeito Márcio Lacerda finalmente sancionou na segunda-feira a “Lei do Meio Passe” de transportes coletivos para estudantes do ensino médio, fundamental e universitários da capital mineira.

A questão agora é analisar qual fator foi realmente decisivo para que o direito ao passe livre, depois de tantos anos, fosse, ainda que parcialmente, conquistado. Talvez seja pela organização dos estudantes em prol de seus direitos, ou pela insistência e pressão feita por eles por uma medida rápida e eficaz do prefeito. Quem sabe os estudantes finalmente alcançaram um nível de maturidade e consciência crítica que tenha feito a diferença…

Bem… ou não. Ainda.
Até porque considerar algum nível de maturidade por meio de promoções do orkut… melhor não, né.

#euamoomeuprefeitoradicalmente

Os últimos fôlegos de 2010 não poderiam ser mais surpreendentes:

A fórmula da aprovação? Não promover a expansão do metrô, contornando o problema por meio de acordos com empresários das linhas de ônibus; dobrar o preço do restaurante popular; cancelar o FIT e apresentações culturais na Praça da Estação, sendo obrigado a reconsiderar a medida, e diminur a verba da educação para usar em campanhas educativas-publicitárias.

Adeus ano velho, feliz ano novo. Eu amo BH radicalmente ou nós vamos ganhar e vamos chutar a bunda deles?